Primeira Vereadora de Serra Talhada
Dona Mocinha - Primeira vereadora de Serra Talhada-PE
Destaques Entrevistas Política

Dona Mocinha: Primeira vereadora de Serra Talhada

Estamos há dois dias das eleições municipais. Aqui em Serra Talhada, temos duas candidatas mulheres concorrendo ao cargo de prefeita, o que já podemos considerar um grande avanço na história de luta. Se uma das duas concorrentes vencer, teremos a primeira prefeita de Serra Talhada. Porém, gostaria de lembrar a história da primeira vereadora a ser eleita pelo povo e legislar em prol dos mais necessitados na capital do Xaxado.

“Uma pessoa de vida simples, desprovida de vaidades, porém, cheia de zelo por si mesma e por todos que tiveram o prazer de com ela aprender a viver”. É assim que moradores antigos do bairro São Cristóvão (conhecido como Bomba) de Serra Talhada, no Sertão de Pernambuco, definem Melânia Nunes de Souza.

Nascida na Fazenda Jatobá, no dia 14 de agosto de 1923, filha de Manoel Tomé de Sousa (Seu Neco) e Maria Alves de Sousa (Dona Licô), Melânia foi alfabetizada em casa, por um professor chamado de Velho Lau. Depois veio continuar seus estudos em Serra Talhada.

A adolescente tímida e recatada casou-se com seu primo, o caminhoneiro Antônio Nunes de Sousa, com quem teve sete filhos. Após 18 anos de casados, Antônio saiu para mais uma viagem e só retornou 15 anos depois. Diante do abandono do marido, conviveu de perto com as dificuldades da vida e com a tarefa árdua de criar e educar 7 filhos sozinha.

O apoio da família foi fundamental para que Melânia, carinhosamente chamada de Dona Mocinha, montasse um comércio no bairro Bomba, lugar onde ganhou destaque e visibilidade, diante de suas ações solidárias com os moradores daquele local.

Mocinha dedicou sua vida para servir aos mais simples e desfavorecidos, ouvia a todos que a procuravam com muita atenção e aconselhando-os a partir dos preceitos do cristianismo. Agia, inclusive, como enfermeira, quando precisava.

Para sua filha, Solange Oliveira, o maior exemplo de compaixão e amor ao próximo era que, “apesar de todas as dificuldades que passamos, em nossa casa nunca faltou um prato de comida para alguém que tenha batido em nossa porta”.

Franciscana e disposta a ajudar quem quer que seja, Melânia Nunes estava sempre lutando em prol das relações de pais e filhos, bem como as suas com a igreja. Tornou-se amiga e conselheira de muitas famílias. “Apesar de ter criado os filhos sozinha, sem nosso pai, mamãe sempre cuidou das famílias do bairro. Dava conselhos para os maridos, orientava as crianças e já desenvolvia um trabalho de empoderamento da mulher. Acreditava na instituição do casamento, mas não permitia que os homens maltratassem suas esposas e as fortaleciam para que não permitissem esse tipo de tratamento. Para ela, homens e mulheres deveriam andar juntos, lado a lado, nenhum era superior ao outro”, lembra Solange.

Com tanta admiração, não é difícil encontrar alguns afilhados de Dona Mocinha pelas ruas da cidade. Um deles é Paulo Bezerra de Melo, proprietário do Grupo BM, que lembra com muito carinho da madrinha franciscana. “Madrinha Mocinha tinha o coração muito bom e adorava participar das atividades da igreja. Minha mãe também a acompanhava e me deu para que ela fosse minha protetora, por ela ser muito religiosa, temente a Deus e amorosa com todas as pessoas”, afirma Paulo.

Diante de tanta representatividade, foi convidada por seu sobrinho, já atuante nas lutas políticas pelas minorias, hoje atual prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, a representar aquela localidade como vereadora. Melânia aceitou e marcou história na política local como a Primeira Vereadora, em dezembro de 1992, pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), aos 70 anos de idade, chegando a presidir a Câmara de Vereadores.

“Tia Mocinha sempre foi uma sonhadora, uma mulher determinada, que transformava o sonho das pessoas em realidade. Lutou pelos desfavorecidos. Pessoa querida e respeitada no bairro onde morava, e sempre achei que seria uma ótima representante política daquela localidade que não tinha ninguém lutando por eles. Consegui convencer minha tia, mesmo contra a vontade dos filhos, irmãos e da família, e nos unimos para fazer política”, lembra o prefeito.

Primeira representante feminina na Câmara Municipal de Vereadores, Dona Mocinha legislou por três mandatos e teve uma das gestões mais bem organizadas como presidente da Casa. Foi peça chave na construção da atual sede, além de elaborar um projeto de lei garantindo a construção de casas no bairro Mutirão e cobrar o abastecimento de água no bairro da Cohab.

“Só o que Mocinha passou na vida para criar seus filhos e como ela os deixou, já mostra a mulher que ela era. E assim fez também na política. Uma pessoa tranquila, que tratava a todos muito bem, sem distinção. Sempre teve uma relação de amizade e respeito com os colegas vereadores, buscando somar, para que o povo fosse beneficiado em todas as ações”, lembra o vereador Agenor de Melo, que teve o prazer de legislar ao lado de Melânia.

Em uma de suas últimas entrevistas, concedida a um site de notícias local, Dona Mocinha relembrou algumas das lutas e reforçou de onde vinha tanta garra e determinação. “Todo mundo me respeitava, era difícil conseguir as coisas, mas ninguém me destratava. Trabalhava em função dos pobres, sou franciscana e na política também tinha que ser”, afirmou.

Dona Mocinha não foi apenas uma vereadora atuante e respeitada, mas uma mulher que contribuiu para a inserção da mulher na política propositiva e positiva, que focava nos mais necessitados e no bem-estar social. Melânia Nunes de Souza morreu aos 93 anos, no dia 02 de maio de 2017, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Deixou um grande legado: sete filhos, 32 netos e 29 bisnetos.

Sobre o Autor

Avatar

Rochany Rocha

Oi! Sou Comunicadora Social, com habilitação em jornalismo, o que me deu oportunidades incríveis de dirigir uma grande rádio, além de trabalhar como assessora de imprensa de grandes instituições públicas e privadas. Como Docente, tive a oportunidade de compartilhar meus conhecimentos com mais de 2 mil alunos. Já a especialização em Marketing e Jornalismo político me deu a oportunidade de conhecer pessoas incríveis e hoje, me realizo informando coisas boas para meus leitores.
Sou mãe de dois meninos lindos, que me dão motivação diária para fazer o que mais amo. Quer saber um pouco mais? Então manda um e-mail para blogrochanyrocha@gmai.com e terei o maior prazer em respondê-los. Beijos!!

2 Comentarios

Clique aqui para deixar um comentário

  • Obrigada a grande Rochane pela reportagem que fala aobre a grande mulher que foi mi ha vó, Melania Nunes de Sousa. D.Mocinha Ela realmente foi uma mulher a frente do tempo. Guerreira, destemida e forte… Uma grande vereadora, uma grande mulher. A melhor avó que um neto poderia ter era D.Mocinha. Qt saudade..m

  • Sem sombra de duvidas, foi uma referência a luta pelo respeito e amor ao próximo. Admiração por uma mulher que teve em seu coração um amor alem da nossa compreensão. O que define dona mocinha, senão que, amor, alegria e respeito ao ser humano.

Open chat